Serviços - plástica-facial

    • Plástica Facial

RINOPLASTIA

A rinoplastia é a cirurgia plástica indicada para correção estética do nariz, existem inúmeras possibilidades: aumentar ou diminuir o nariz, dar projeção à ponta, afinar as asas nasais e até diminuir a giba óssea, que é com os médicos chamam o "osso" ou "calo" do nariz. 

A prática da rinoplastia é bastante antiga. Estima-se que tenha sido desenvolvida entre o final do século 19 e o início do século 20. Obviamente, nos dias atuais, há um amplo conhecimento da fisiologia nasal, bem como da anatomia do segmento nasal. Com isso, há uma constante evolução das técnicas de plástica nessa região. 

"Das primeiras rinoplastias, feitas por via endonasal (fechada), às chamadas exorrinoplastias, feitas diretamente na estrutura do órgão (por via aberta), houve um progresso não só em relação às técnicas cirúrgicas empregadas, cada vez mais precisas, como no que diz respeito à recuperação dos pacientes, cada vez mais rápida", conta cirurgião plástico Gerson Luiz Júlio, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

A rinoplastia é a cirurgia plástica indicada para quem está insatisfeito com o formato natural do nariz. Muitas vezes a cirurgia é associada a outros procedimentos nasais, como a correção do septo nasal e a turbinectomia, que é a retirada de parte dos cornetos nasais, a popular carne esponjosa, que costuma aumentar na presença de alergias, como a rinite. A rinoplastia pode ser feita a partir dos 15 anos de idade, idade em que o desenvolvimento do facial do paciente já está concluído. 

Existem duas técnicas usadas para a rinoplastia: a aberta (exorrinoplastias) ou fechada (endonasal). Na técnica aberta é feita uma pequena incisão na base do nariz, entre as narinas, e na parte interna de cada narina. Na técnica fechada, há incisões apenas dentro das narinas.

"A técnica da rinoplastia aberta é mais indicada nos casos em que há a necessidade de grandes alterações na ponta do nariz", explica o cirurgião plástico Wagner Montenegro. "Mas nesses casos também pode ser utilizada a técnica fechada, portanto fica a critério do cirurgião plástico qual será o tipo adotado". 

Um ponto importante é que a rinoplastia fechada é um procedimento que exige grande qualificação do profissional, pois ela é realizada sem a visão do cirurgião, ou seja, o cirurgião plástico trabalha às escuras, já que a pele do nariz do paciente não é levantada. Na técnica fechada há algumas vantagens, como o procedimento ser um pouco mais ágil, o resultado final proporcionar ao nariz uma consistência mais natural, a recuperação mais rápida do que na cirurgia aberta e não ficar nenhuma cicatriz aparente.

Apesar da maioria dos pedidos referirem-se à diminuição e remodelamento, há casos em que pode ser feito o aumento nasal, através do enxerto de cartilagem, implante de próteses ou preenchimento no local. Para a diminuição do tamanho do nariz, são retiradas partes da cartilagem e/ou é realizada a raspagem e o lixamento do osso. 

A fratura do osso nasal é realizada apenas em casos específicos, avaliada anteriormente durante o exame físico, no intuito de diminuir, o "ossinho" do nariz, e ainda a base alargada. Nesses casos, respectivamente, a fratura é feita para compensar a raspagem óssea, que diminui a massa óssea do local, estimulando a formação óssea do local e para afinar o nariz de pessoas que tem a base muito larga. Quem sofreu alguma fratura prévia, que deixou o nariz torto, também pode precisar da fratura nasal para ajustá-lo. 

A anestesia pode ser a geral ou até local com sedação, caso seja usada a geral, será necessária a intubação do paciente e a respiração será auxiliada por aparelhos (apenas durante o procedimento cirúrgico). A cirurgia demora, aproximadamente, duas horas. 

O paciente que passa pela rinoplastia é liberado no mesmo dia. Nos casos da cirurgia de rinoplastia associada à cirurgia funcional, o paciente deve ficar internado por um período de 12 a 24 horas.

 

BLEFAROPLASTIA

Blefaroplastia é a cirurgia plástica que melhora o aspecto das pálpebras superiores e inferiores, eliminando bolsas de gordura, rugas, flacidez e com isso rejuvenescendo a região em torno dos olhos.

A cirurgia plástica costuma ser procurada por pacientes com mais de 30 anos. Ela está indicada para quem tem excesso e/ou flacidez de pele nas pálpebras, para quem tem bolsas de gordura na pálpebra inferior e para quem tem ptose (queda da pálpebra por causas musculares) ou pseudoptose palpebral (queda da pálpebra em função do excesso de pele). A cirurgia também pode ser feita para remoção de xantelasmas (pequenas bolinhas de colesterol que se formam,  principalmente, nas pálpebras), além de rugas na pálpebra inferior.

 

OTOPLASTIA

 

O termo otoplastia refere-se à cirurgia plástica das orelhas, podendo corresponder a várias técnicas que podem ou não ser associadas, dependendo do problema a ser tratado. Em geral o termo é usado para indicar a correção de orelhas proeminentes (de abano), porém outros problemas como sequelas de traumas, ausência congênita das orelhas e orelhas constritas também são tratadas com técnicas de otoplastia. 

As correções de orelha são realizadas para minimizar deformidades, tentar corrigir assimetrias de forma, tamanho e angulação no caso do abano, em orelhas mal formadas de nascença ou que sofreram deformidades após um traumatismo. Deve ser considerada como reparadora, quando tenta corrigir um defeito, e ao mesmo tempo estética, pensando-se na busca pela harmonia de forma, volume e posição.


 Existe desde o grau mais leve até o mais grave de orelhas em abano, porém a indicação cirúrgica é baseada no grau de incômodo que o paciente apresenta. Há pacientes com pequenas alterações e grande incômodo.  Os graus são baseados na quantidade de alterações anatômicas presentes na orelha em questão.  "Há também casos de macrotia, em que a pessoa tem as orelhas de tamanho acima do normal, ou seja, orelhas muito grandes", explica a cirurgiã plástica Maria Carolina Coutinho, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

  A idade mínima situa-se entre seis e sete anos de idade. "Nessa faixa etária já houve finalização do crescimento das orelhas, de modo que a cirurgia não irá interferir nesse processo", explica a cirurgiã plástica Maria Carolina Coutinho. Também coincide com a idade escolar de alfabetização, quando a criança começa a se incomodar com as orelhas proeminentes.

 

LIFTING FACIAL

Lifting é uma palavra derivada do verbo americano lift, que significa levantar, é usada para determinar cirurgias em que os tecidos necessitam ser reacomodados aos seus lugares de origem, uma vez já terem sofrido a ação da gravidade e do tempo, associado com a diminuição da atividade do colágeno, que causam a ptose dos tecidos, ou seja, a sobra de pele. 

Em geral, esse nome é associado à técnica que melhora o aspecto do rosto, mas também pode ser feito nos seios, pescoço, braços, coxas e glúteos. 

O lifting facial ou ritidoplastia é uma das cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil. Ela se caracteriza pelo tratamento da flacidez de pele ou das estruturas mais profundas da face, devolvendo os tecidos ao seu lugar original, consequentemente, trazendo de volta jovialidade para o paciente. Atualmente, ela também é associada à enxertos de gordura na face, já que é sabido que uma das causas do envelhecimento facial é a perda de gordura.  

Generalizando: o lifting facial é compreendido de uma incisão que vai desde o cabelo (suíça) circundado a orelha e entrando ou contornando o cabelo. Após é realizado um descolamento extenso, onde é identificado o sistema músculo-aponeurótico superficial (SMAS), o qual é suturado, devolvendo ao paciente o tecido para seu lugar de origem. Após esse processo, procede-se a retirada do excesso de pele. A ritidoplastia pode ser associada com a lipoaspiração do queixo e pescoço, preenchimento com essa mesma gordura retirada, blefaroplastia, entre outras, uma vez que o tratamento da face deve ser global. 

 Mas, a cirurgia pode ser realizada de diversas maneiras e cada uma delas tem sua indicação particular: 

Minilifting Este é um termo utilizado para a cirurgia de face que está associada a cicatrizes menores que as clássicas. Na verdade, essa cirurgia é a mesma que o lifting facial, porém maquiado com um termo novo que promete menor descolamento com menores cicatrizes. Entretanto, a essência cirúrgica é a mesma da ritidoplastia clássica. 

Fonte: Minha Vida